serrote 25

A serrote 25, que chega às livrarias em março, traz um livro inédito de Ben Lerner, um trecho da nova biografia de Elizabeth Bishop, um ensaio visual de Daniel Jablonski e textos de George Steiner e Mark Lilla, entre outros. Leia abaixo o editorial e o sumário desta edição.

Clique aqui para comprar a revista.

Do ensaísta espera-se que, nos passos de Montaigne, caminhe “inquiridor e ignorante”, seja por sua vizinhança ou através da História. É ele e somente ele quem define o alcance de sua empreitada, da análise de uma imagem à busca de uma expressão de identidade.

As mais altas aspirações movem Germán Arciniegas e George Steiner, que encarnam, cada um a seu modo, o melhor espírito do intelectual clássico, em busca de sínteses que sabem imperfeitas, mas acreditam necessárias. Nesta edição, o polígrafo colombiano reivindica o ensaio como forma privilegiada de expressão da América e, num embate com a cultura de uma Europa unificada e pré-Brexit, Steiner defende o espírito intelectual que traduziria o continente.

No avesso dessas grandes narrativas, é o espírito fragmentário do século 21 que pauta a meditação incisiva de Mark Lilla sobre o radicalismo, fantasma que também assombra, de outra maneira, o Brasil dividido pelas guerras culturais analisadas por Guilherme Freitas e vislumbradas por João Bandeira em um poema de Augusto de Campos.

A urgência de reflexão também pode estar à margem das agendas mais imediatas, como na investigação de Ben Lerner sobre o status paradoxal da poesia, que para viver precisa ser atacada – de dentro, pelos poetas que pretendem renová-la e, também, pelos leitores, que não lhe dão importância.

Entre o mundo secular e o religioso, o conflito da política e os ditames da moral, o ensaísta segue inquiridor e, espera-se, fazendo da ignorância e da incerteza os motores da reflexão. (Paulo Roberto Pires)

 

POLARIZAÇÃO
Guilherme Freitas / Daniel Trench
A sociedade como campo de batalha
A sobreposição da política por valores morais divide o Brasil em guerras culturais que põem em questão conceitos básicos como família, educação e direitos humanos

RADICALISMO
Mark Lilla / Adonis
O cavaleiro e o califa
A nostalgia de um passado idealizado, que confere a Dom Quixote sua nobreza, transforma o fundamentalismo islâmico em ação política violenta

BIOGRAFIA
Megan Marshall / Elizabeth Bishop
Elizabeth & Alice
Na recém-revelada correspondência de Elizabeth Bishop com seu último amor, está a gênese de um de seus poemas mais conhecidos, “Uma arte”

ENSAIO
George Steiner / L.S. Lowry
A ideia de Europa
Berço do humanismo e palco de massacres, o continente só pode se projetar para um futuro assumindo o peso ambíguo do pretérito perfeito

Germán Arciniegas / Christian Vinck
Nossa América é um ensaio
O “Novo Mundo”, acontecimento inédito na História, encontrou sua melhor expressão num gênero fundado sobre a dúvida e a invenção

ENSAIO VISUAL
Daniel Jablonski
Todos os pontos

MÚSICA
Ricardo Teperman / Renata Lucas
Paratodos, para os pobres, pra ninguém
Os Racionais MC’s são o ponto cego na inclusão do rap pela tradição da MPB, que já acolheu Emicida e Criolo

POESIA
João Bandeira / Augusto de Campos
O país num PSIU!
Cinco décadas depois, um dos poemas popcretos de Augusto de Campos catalisa a cacofonia política brasileira

Ben Lerner / Paulo Pasta
O ódio pela poesia
Criticada por quem a idealiza ou a despreza, a arte poética é inseparável da aversão que desperta

3 respostas para serrote 25

  1. Geraldo Teixeira disse:

    Prezado editor,
    Tomo conhecimento do conteúdo da nova edição da SERROTE
    num momento em que me deparo no meu Diário
    com uma anotação de 3/8/1988
    que tem tudo a ver com o slogan desta revista,
    que leio desde a primeira edição: Para abrir cabeças

    EI-LA: Abra a cabeça até compreender por que o outro ri de você.

  2. Pingback: Assombrações Apparizioni brasiliane di marzo [parte2]

  3. Andressa Andrade disse:

    vcs possuem e-mail de contato??

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *