John Ashbery traduzido por Paulo Henriques Britto

John Ashbery traduzido por Paulo Henriques Britto

Autor de uma das mais celebradas e enigmáticas obras da poesia contemporânea, o americano John Ashbery morreu em 3 de setembro, aos 90 anos. A serrote 21 publicou o poema em prosa “Cuidado com o que você deseja,” de um de seus últimos livros (Breezeway, 2015), em tradução de Paulo Henriques Britto.

Cuidado com o que você deseja,

exúrbio. O que é que você queria dizer (quando disse): Eu falava, de brincadeira, que minha profissão era aposentado. Está começando a nevar de novo. Não sei se eu devia sair. Como é que se pode dar ordens se ninguém está prestando atenção? Um amigo e dois garotos. Ali, onde o amor era silencioso, podia-se pensar de modo descontínuo nas dobras que havia pela frente, a fé montada num triciclo. Isso apenas. Ou então ela fez um furo no vestido. Dava para apostar que coisa boa não era. As janelas estremeciam quando passava o trem na hora do café da manhã.

Pense bem se não é melhor reconsiderar essa decisão. Os outros que se danem… Estava lá, no livro militar dele. Você também tinha oracular neve. Você sabia disso. Todo mundo sabia. Minha dinastia, confissões de um lírio no arame. Coisa horrível de se fazer puramente nu. Condições de humilhação aplicam-se ao caso, para não dar uma de tia aflita com você. Você não está preparado para isso. Nem você nem nenhum poeta, mas é que você já veio. A garça não sabe se as condições meteorológicas vão voltar. Eu não quero isso, não. Estou cagando e andando. Uns troço que ia cair… o pomar de batatas vem junto com uma cozinha oriental.

Ninguém pede por favor no céu. Todas as transações comerciais são feitas antes do meio-dia, havendo tempo livre para cochilos e reflexão. Esse é o tipo de vida que eu devia estar levando. O que aconteceu? você pergunta. A moça das tranças mandou lembranças. Quando o relógio anuncia a hora hipnótica do meio-dia, você fica como qualquer outro hóspede pagante, à espera do cheiro inebriante de hambúrguer subindo pelo vão da escada. Quando o Doc voltou a morar no nosso bairro ele percebeu os sorrisos miseráveis, legado de nosso deus anterior. Quem, ele se perguntava, pode gostar desse tipo de ambiência. E não deu outra: era o dia da Independência. E correu de boca em boca: dia certo, mês errado. Vão dormir. E foi o que eles fizeram (escrevendo na grama). O moço das escovas (de queixo rapado) passou por aqui. Vejo você por lá. Me dá um toque. Só porque o Scooby Doo acha que você devia…

As autoridades da sujeira implicaram uma pequenina BOMBA. E dormir, tentando encontrá-los. Pois eu sou a favor não apenas da iniciativa A-13 mas de toda essa panóplia idiota, tio Ralph. Põe meu nome na lista: engrinaldado. Dizem que ela foi vista pela última vez por um mero acaso, chorando à beira-lago.

Você sabia disso. Todo mundo sabia.

Be careful what you wish for,

exurb. What were you driving at (when you said): Used to joke I’m in the retirement business. The snow is beginning to fall again. I’m wondering whether I should go out. How can you give orders when nobody is listening? A friend and two boys. Here where love was quiet it was possible to think discontinuously of the folds ahead, faith on a tricycle. Only it. Or she got a hole in her dress. It was a million to one it was something bad. The windows rattled as the train swept through at breakfast.

You may want to rethink that decision. Bother the others… It was right there in his military book. You wood have too oracle snow. You knew that. Everybody did. My dynasty, confessions of a lily from wire. That was a terrible thing to do purely naked. Groveling conditions apply, not to go all agony aunt on you. You’re not ready for this. No poet is, only you already came. The crane doesn’t know if the weather will return. I don’t want it. I don’t give a shit. Something that would have fell… the potato orchard with attached oriental kitchen.

They don’t say please in heaven. All business is carried out in the pre-noon hours, leaving time for naps and reflection. This is the kind of life I was supposed to lead. What happened? you ask. Cutie pie went bye bye. Once the hypnotic hour of twelve has struck you are like any other paying guest, waiting for the intoxicating smell of burgers to waft up the stairway. When Doc moved back to our area he noticed the wretched smiles, legacy of our previous god. Who, he wondered, enjoys this kind of ambiance. And sure enough, it was Independence Day. And word went out: It’s the right day but the wrong month. Go back to sleep. And they did (writing in the grass). The Fuller Brush man (clean-jawed) stopped by. See you down there. Lemme know. Just because Scooby Doo thinks you should…

Dirt officials implied a small little BOMB. And sleep, trying to find them. Now I approve not just initiative A-13 but the whole dumb panoply, Uncle Ralph. Sign me up for festooned. They say she was last seen by a lake, crying.

You knew that. Everybody did.

 

John Ashbery (1927-2017) é uma das referências incontornáveis da poesia contemporânea. Prolífico, publicou mais de 30 livros de poemas, ensaios e traduções em cinco décadas de uma carreira marcada pelos mais importantes prêmios de seu pais, como o National Book Award e o Pulitzer. Este poema em prosa é parte de Breezeway (2015), que reúne sua produção mais recente.

Tradução de Paulo Henriques Britto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *