Serrote #23

serrote #23

serrote #23

Clique aqui para comprar a revista.

 

RETRATOS DO BRASIL, 2016
Gabriel Jaguaribe Giucci
Desvio

Tales Ab’Sáber
Tradição da mentira, tradição do ódio
De Vargas a nossos dias, passando por 1964, a falsificação do real é peça fundamental no pensamento autoritário

Angela Alonso
Intolerâncias, substantivo plural
No Brasil dividido, a comunidade dos iguais se protege da ofensa máxima impingida pelo diferente: sua existência

Laymert Garcia dos Santos
Escutas em transe
Entre hackers e procuradores, o país vive o embate de estratégias políticas para transformar em palavra pública o que é dito em privado

Renato Lessa
Uma breve história natural da urna
Quando eleição é sinônimo de captura de voto por predadores políticos profissionais, convém rever as origens do recipiente que é o coração da política

ALUCINAÇÃO
Jean-Paul Sartre / Rico Lins
Anotações sobre os efeitos da mescalina
Em 1935, antes de Henri Michaux e Aldous Huxley, o filósofo, então jovem, submeteu-se a aplicações da droga buscando compreender os mecanismos da imaginação

APROPRIAÇÃO
Leonardo Villa-Forte / Nicholas Rougeux
O autor como apropriador
No limite entre invenção e impostura, a escrita não criativa de Kenneth Goldsmith quer repetir no universo do texto o que Marcel Duchamp fez no mundo da arte

RADICALISMO
Damián Tabarovsky
Literatura de esquerda
Por uma literatura que não pense em público, crítica, circulação, posteridade, tese de doutorado, sociologia da recepção, contracapa, tapinha no ombro. Escrita pelo escritor sem público, que escreve para ninguém, em nome de ninguém, sem outra rede além do desejo louco de novidade. Literatura que não se dirige ao público: se dirige à linguagem.

ENSAIO VISUAL
Wilma Martins
Dois cadernos

DIÁRIO
Julio Ramón Ribeyro / Walker Evans
A tentação do fracasso
A escrita íntima nasce da culpa, é uma confissão para incrédulos, um prodígio de hipocrisia, uma fraqueza de caráter, um relato, enfim, a partir da perspectiva temporária da morte

CINEMA
José Carlos Avellar / Theo Firmo
Pai país mãe pátria
No cinema brasileiro dos anos 1960, o político e o social desfocavam a família, que nas produções do final dos 1990 assume o protagonismo, encarnando nos indivíduos os dramas do coletivo

NÃO FICÇÃO
Juan Villoro / Javier Sáez Castán
O ornitorrinco da prosa
Ficção e reportagem fundem-se e confundem-se na crônica latino-americana, gênero híbrido entre fato e fabulação

RELATO
Emmanuel Carrère
Em Calais
Exasperada, dividida entre a solidariedade e a xenofobia, a população do porto francês experimenta no quintal de casa a gravidade da crise de imigração na Europa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *